Monday, May 12, 2008

Intercambio epistolar con Regis Bonvicino



Intercambio epistolar con Regis Bonvicino, director de la revista Sibila de Brasil


No número 125 de Crítica (revista mexicana de literatura), publicou-se um par de resenhas adversas a "La luz que va dando nombre", uma antologia de poesia, editada por Ali Calderón, que solicitou junto ao Reitor da Universidade, dois meses depois, a "exoneração" de Armando Pinto e J.E. Sarabia de sua direção. Calderón costuma fazer campanhas contra seus "inimigos" (aqueles que dele discordam intelectualmente) e os editores da revista Crítica não escaraparam de sua ira. A revista Crítica é independente, como Sibila, e "poligâmica", avessa a grupos, e, por isso, Sibila apóia J.E. Sarabia e Armando Pinto contra Ali, El Calderón químico.
Régis Bonvicino, diretor de Sibila

Senhor Regis Bonvicino
Leio apenhorado as suas considerações sobre o assunto da revista Crítica da Benemérita Universidad Autónoma de Puebla, trata-se, não como voce diz, duma revista suportada pela Universidade e é um orgão de difusão da cultura dos universitarios, não uma revista independente. Portanto é preciso que ofereça um espaço para a publicação dos materiais literarios e criticos de issa comunidade universitaria. Acrescento que voce fala dum assunto que desconheçe e lamento as suas palavras ditas sobre o poeta Alí Calderón, é um jovem muito lucido e grande poeta aos 26 anos de idade.Parece, que voce "costuma fazer campanhas contra os "inimigos" (aqueles que deles discordam intelectualmente) dos seus amigos". Espero a sua resposta,
Mario Bojórquez
Premio Nacional de Poesía Aguascalientes 2007

Leio entristecido seu e-mail, sem argumentos e com ataques tolos a mim, caro, Mario, macartista! Todos os mais lúcidos poetas mexicanos retratam Ali, Químico como um politiqueiro da literatura -- sem valor algum. Sequer soube suportar uma crítica negativa à sua antologia. Que autor é esse? Abs. Régis


Senhor Regis Bonvicino

Leia com atenção, é uma revista duma institução, duma universidade, deve portanto dar a sua comunidade a satisfação de representa-la. De-ve em todos os casos ser julgada por seus universitarios, não por voce o eu.A publicação da injuriante carta de Julian Herbert é sim, uma persecução, e voce apoia no seu pais issa persecução, isso é macartismo. Eu não sou um fascista como o seu amigo Herbert o diz, si voce apoia ista proposição, voce é fascista e macartista. A tolice é um atributo dos que náo querem escutar.

Mario Bojórquez

1 comment:

Antonio Escobar said...

Caro Régis Bonvicino, li que mantém a discussão com o poeta Mario BOJORQUEZ em seu blog (hiperboreos.blogspot.com), e penso que você deu postura é altamente factious, uma vez que sem conhecer o assunto, acredita. Este é um reflexo do que aconteceu para a revista "crítico" nos últimos dias, as pessoas que precisam favores poética para a revista, sem conhecer o problema, deixando em sua defesa, deixeis anos, a revista ganhou muitos amigos para a facção. Você é a mais vívida exemplo nesta teia de relações entre os poetas, a favor pro é pago. O que você pode aprender com a Universidade Autônoma de Puebla, e muito menos o que pode ser sua revista sabemos até agora, aquilo que se sabe é o que você deve saber, o mira douro de seus amigos poetas. A mesma opinião é que ele tenha sido mal informado sobre o poeta Ali Calderón. É uma pena que o seu ponto de vista é tão baixa, e sua visão tão obtuso.
Por outro lado, penso que não tem uma boa memória, desde que você publicou um livro de poesia da revista "Alforja" e Ali Calderón é o editor da revista virtual presente, parece-me pouco ético falar sem fundamento, mais quando se pensa a alguém que tem qualidade comprovada. Para sua informação crítica na antologia "A luz que irá dar o nome" são feitas por pessoas desaparecidas, as pessoas que não têm a coragem de colocar o seu nome, como Gustavo Adolfo Moran, nem sequer existe. Você deve aprender mais antes de falar ...

Antonio Escobar (Maestro por La BUAP)

Síguenos en tumblr.com

V Festival Internacional Poesía Granada 2009